sexta-feira, agosto 29, 2014

Tempo houve.

Tempo houve que na casa de minha infância existia uma fada. O inesperado roubou a fada.
Havia um guardião de meus temores, um doce menino para dividir os sonhos. Tempo houve.
Nas paredes simples eu imaginava gentes , nas ranhuras.
Tempo houve que eu tinha desejos e imaginava castelos com minha fada voltando.
Mas só havia um dragão vigiando meus pesadelos.
Tempo houve que quem mais amei , esqueceu de mim.
Tempo houve que busquei o inesperado , confiei no contido , na vida cheia de promessas.
Tempo houve que tive todos os desejos, todo amor, toda ternura.
Tempo houve.

Mas eu não estava lá.

Nise.
São Gabriel, 29 de agosto de 2014.

domingo, maio 04, 2014

Não.

Não deixei de viver, não deixei de pensar,não deixei de sentir, não deixei de perceber, de amar , de sofrer,alegrar.
Não.
Eu só deixei de vir aqui onde a poesia espera e os poetas me abraçam.
Envelheci.
As mechas dos cabelos misturam-se aos brancos, disfarço e mostro.
Nessa madrugada de domingo precisei estar aqui, exatamente aqui onde sou eu , sem máscaras, onde sou eu, eu.
Senti saudade.
Senti fugir as palavras, acomodarem-se sentimentos , inacomodáveis.
Agora as palavras atropelam-me, rápido demais o pensamento, um pouco lentos, meus dedos, no teclado.
Li muito.
No momento sinto uma repulsa extremada e ilimitada pelo (chamarei de senhor?) Mas claro que não!!! Pelo verdugo mor do direito e da palavra humano ,esse ser repulsivo: Joaquim Barbosa.
As notícias de sua insanidade me fazem sã demais.
Mas eu só mencionei , ainda vou escrever mais sobre o mal e o bem.
Para mim sempre foi assim:Mal e bem, luz e escuridão.
E conheci o mal e a escuridão com JB.
De perto, vivo.
Não o deixarei abalar nem tocar minha idéia de justiça e humanidade.
Não o deixarei mais tempo na minha mente.
No face , posto todo dia comentários, compartilho indignação.
Aqui , só hoje.
Aqui, não.

Não!

São Gabriel, 3 de maio de 2014.
Nise.

terça-feira, dezembro 24, 2013

Tempo

Houve um tempo que partias, partindo meu coração.

Nise
São Gabriel, 24 de dezembro de 2013.

segunda-feira, dezembro 06, 2010

Bebida

Reconstituição



(Elisa Lucinda)






Tive de repente


saudade da bebida que eu estava bebendo…


tive saudade e tentei me lembrar que gosto faltava,


qual era a bebida…


Fui procurando entre copos e móveis


e dei com sua boca.






A saudade era dela


A bebida era o beijo.



sexta-feira, dezembro 03, 2010

Virtual

Nas conversas onde coloquei meu coração na ponta dos dedos recebi respostas inesperadas.Demais.

quinta-feira, novembro 25, 2010

Renúncia

Renunciei mas como esperneei! (ainda tenho bem vívidas minhas origens gaúchas, lembro de ti, vó Célia e mesmo triste, estou rindo...muito!)

Volver a los 17

Volver é o sonho perdido, a lembrança, um curativo.








Novembro-São Gabriel
Nise

quinta-feira, outubro 07, 2010

Descobertas

E fui descobrindo no correr dos anos que:
amar não me devolveu amor
sentir não envolveu sentimentos
acreditar não me trouxe créditos
esperar não me tirou da espera
viver não significou vida
sonhar, matou o Sonho.





Nise
São Gabriel, 7-10-2010

terça-feira, agosto 17, 2010

Descoberta

e se eu descobrir que canto a vida e o melhor do viver é morrer?




Nise
São Gabriel, 17 de agosto de 2010.

quarta-feira, agosto 04, 2010

Minha Nossa Senhora

...que é do Perpétuo Socorro!!!
Não direi...rogai
Não pensarei...ajudai
Perpétuo Socorro não há.
Rogar, não adianta.
Ajudar,  não podes.
Mas te olhar assim , desenhada, pintada, retratada, teu menino no colo, protegido, amparado.
Nossa Senhora,  empresta-me os braços e o Socorro!!!
Nossa Senhora,  empresta-me o menino?
Que o meu anda tão longe,  que preciso esquecer de mim, penetrar no escuro e resgata-lo com armas que não tenho, mas coragem não me falta.Que arrogância a minha!Morro de medo de perde-lo, morro a cada minuto, a cada notícia.
Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, estou tão cansada, por favor , cuide dele umas duas horas, volto correndo, só preciso chorar.
São Gabriel,4 de agosto de 2010
Nise

quinta-feira, julho 29, 2010

Contraste

Tempo alegre em que a juventude teimava em não fugir de nós e a velhice era apenas uma lenda que continha ameaças perigosas.

Paulo Sant'Ana

segunda-feira, junho 14, 2010

O fim do amor

Para se esquecer um grande amor, só há uma receita: arranjar outro.

Paulo San'tana

...vou morrer tentando o imperfeito perfeito amor.

Nise
São Gabriel,14 de junho de 2010.

sexta-feira, junho 11, 2010

Um amor de antigamente


"Quando eu estiver deitado na planície, indiferente às cores e às formas, tu deves te lembrar de mim. Aí , onde a planície ondula, a terra é mais fértil. Abre com a concha de tua mão uma pequenina cova e esconde nela a semente de uma árvore. Eu quero nascer nesta árvore, quero subir com os seus galhos até o beijo da luz. Depois, nos dias abrasados, tu virás procurar a sua  sombra, que será fresca para ti.Então no murmúrio das folhas eu te direi o que meu pobre coração de homem não soube dizer."

IBERÊ CAMARGO
Porto Alegre, 1940
Uma homenagem verdadeira e nunca antiga para os amores apressados de hoje.

NISE
Sâo gabriel, 11 de junho de 2010.

quarta-feira, junho 09, 2010

São Paulo

Olho a foto.
Poluída cidade.
Céu com definidas cores da morte.
Ah São Paulo um pouco mais e terias no céu inexistente as cinzas de meu coração.






Nise
São Gabriel, 9 de junho de 2010.

sábado, abril 10, 2010

Poeta que amo!

Hilda Hilst






:






XXI






Não te machuque a minha ausência, meu Deus,


Quando eu não mais estiver na Terra


Onde agora canto amor e heresia.


Outros hão ferir e amar


Teu coração e corpo. Tuas bifrontes


Valias, mandarim e ovelha, soberba e timidez






Não temas.


Meus pares e outros homens


Te farão viver destas duas voragens:


Matança e amanhecer, sangue e poesia.






Chora por mim. Pela poeira que fui


Serei, e sou agora. Pelo esquecimento


Que virá de ti e dos amigos.


Pelas palavras que te deram vida


E hoje me dão morte. Punhal, cegueira






Sorri, meu Deus, por mim. De cedro


De mil abelhas tu és. Cavalo-d’água


Rondando o ego. Sorri. Te amei sonâmbula


Esdrúxula, mas te amei inteira.



sexta-feira, abril 09, 2010

Cigarro

Apague  seu último cigarro.
Depois...acenda-me!!!

São Gabriel, 9 de abril de 2010.
Nise

quinta-feira, abril 01, 2010

Morrer de amor


Tão bom morrer de amor e continuar vivendo.
Mario Quintana
Copiei porque achei lindo demais do blog :Andorinha Negra

segunda-feira, março 29, 2010

Prisão

E eu  te prendo  em meus braços, te salvo, me salvo!!! Tola pretensão.Tu fugistes de ti, fugistes de mim, andas perdido, mundo melhor, mundo pior...sei lá.Sei de certeza que vais voltar, preso em meus braços , deitar, repousar.Quero teu olhar tenura, filho que não perco, pois perco-me eu e para sempre se não reencontrar-te.
Precisas voltar, precisas!!!
Essa mãe egoísta, ainda quer viver e nunca vai desistir.
e era uma vez 3 mosqueteteiros...e era uma vez trez amigos, e era uma vez Dartangnan...que fez 30 anos, que reuniu os amigos e até fechou os olhos para melhor sonhar.












Te amo meu menino Tiago.

Aniversário


Ternura


Uma menina feliz passou na loja para rever nossa gatinha Titi .Uma gatinha feliz ganhou colo .
Uma combinação tão perfeita: Ternura Posted by Picasa

Outono

E é outono, na estação e na vida.E é com um princípio de verso que saúdo a estação que chega.Versos para todos que sorriem, despedindo-se do verão, apreciando o outono , amando o inverno e acreditando ainda na primavera.
Nise
São Gabriel, 29 de março de 2010

Hoje é dia 18 março de 2010.

Tenho um irmão, apelido Polaco.Meio irmão.Mães diferentes, que a minha , sou mais velha, morreu precocemente.
Mas é para falar das palavras, não as palavras de mim.
Deixou-me um bilhete, tímido que é, numa de suas últimas visitas, dez ou doze anos atrás.Tenho saudade desse guri.
"Para minha irmã de longos silencios e poucas palavras..." assim iniciava.
O tempo, esse culpado perfeito, tirou-me os longos silencios, as palavras dispararam na defesa, na busca,, na súplica.
Defesa do indefensável.
Busca do para sempre perdido.
Súplica do impossível
Muitas palavras. Benditas.
Sobrevivo.

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Carinho

Me toque, me acarinhe, se enjoe de mim...
Me busque.
Guardo o instante na solidão de querer-te, na alegria do pedido.





Nise
São Gabriel, 1 de fevereiro de 2010

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Viagem

Eu queria , viagem de barquinho,
Quando te afastas

E ficar, no cais, na praia
Acenando, chorando
Todo o tempo que quiser
Disfarçando depois no regresso,
Que ainda sou, inteira.



Nise
São Gabriel, 17-01-10
EU QUERI VIAGEM DE BARQUINHO Posted by Picasa

segunda-feira, janeiro 18, 2010

Teu rosto

E havia tanta ternura nos teus olhos quando

erguestes os óculos que precisei devolver o ar com o qual engasguei feliz.Por breve instante voltei no tempo, lembrei.
Por um tempo infindo, agora,  quando me faltar o real, navego aqui bem no fundo de teus olhos que assim amei.


Nise
São Gabriel,19 de janeiro de 2010.
ePosted by Picasa

Nós

Posted by Picasa

quarta-feira, janeiro 13, 2010

...o pior é o que vives ou o que sentes?



PIOR É NÃO PODER.


É O QUE NÃO POSSO , NÃO SONHO NEM QUERO.


PIOR DE QUE NÃO PODER É NÃO QUERER.


DE O QUE NÃO SONHAR , O PESADELO.


DO NÃO QUERER É PEDIR.


DE PEDIR, ESPERAR.


NUNCA ESPERE NADA.AGARRE O QUE PENSE SER SEU.


PORQUE PENSAS MAS NÃO É.


PIOR DE TUDO É AINDA ESCREVER E OUSAR QUE POSSA HAVER ENTENDIMENTO.


TU NÃO ÉS NADA, NÃO PRETENDAS NADA.


TU ÉS TUDO, ABRACE O MUNDO.


TU ÉS TU E MAIS NADA.


TU , E TEUS SONHOS TOLOS DE RECIPROCIDADE.


EU TENHO RAIVA DESSE TU ASSIM .


APRENDI A TER MENOS OU POUCO, NENHUM RESPEITO POR MIM.


















NISE


SÃO GABRIEL,12 DE JANEIRO DE 2010.

terça-feira, janeiro 05, 2010

Barganha


E lá se foi mais um ano, mais sonhos não realizados, por vezes nem sonhados.
Vou ao mercado.Há restos do Natal e do Ano Novo.
No olhar apagado, no andar cansado, um jeito tão desanimado!!!
E eu olho apagadamente, caminho cansadamente , desanimadamente estou.
Mas, irritada ,conscientemente frustrada dos anseios que penso, perdi, vejo no carrinho , na fila , na minha frente uma mulher e sua filha.
Uma menininha de sete, oito anos.As observo.São uma.São amorosamente uma da outra.E entao, uma tontura, um mal estar nas vísceras, um indescritível aperto no coração exausto de esperar.
Desaparece a monotonia explícita e aceita, revivo.
E peço ao tempo um instante só daqueles com minha menina.
Ofereço ao tempo um tempo de minha vida.
Suplico ao tempo surdo uma barganha.
Envergonhada,  sugiro medrosa , tímida e sabendo da inflexibilidade do tempo, minha vida por esse minuto.
Com ela, minha menina dos cachos dourados.
O tempo me devolve lembranças e impiedosamente, me vê chorar.

São Gabriel, 5 de janeiro de 2010.

) Engano da Bondade

O Engano da Bondade







Endureçamos a bondade, amigos. Ela também é bondosa, a cutilada que faz saltar a roedura e os bichos: também é bondosa a chama nas selvas incendiadas para que os arados bondosos fendam a terra.


Endureçamos a nossa bondade, amigos. Já não há pusilânime de olhos aguados e palavras brandas, já não há cretino de intenção subterrânea e gesto condescendente que não leve a bondade, por vós outorgada, como uma porta fechada a toda a penetração do nosso exame. Reparai que necessitamos que se chamem bons aos de coração recto, e aos não flexíveis e submissos.


Reparai que a palavra se vai tornando acolhedora das mais vis cumplicidades, e confessai que a bondade das vossas palavras foi sempre - ou quase sempre - mentirosa. Alguma vez temos de deixar de mentir, porque, no fim de contas, só de nós dependemos, e mortificamo-nos constantemente a sós com a nossa falsidade, vivendo assim encerrados em nós próprios entre as paredes da nossa estuta estupidez.


Os bons serão os que mais depressa se libertarem desta mentira pavorosa e souberem dizer a sua bondade endurecida contra todo aquele que a merecer. Bondade que se move, não com alguém, mas contra alguém. Bondade que não agride nem lambe, mas que desentranha e luta porque é a própria arma da vida.


E, assim, só se chamarão bons os de coração recto, os não flexíveis, os insubmissos, os melhores. Reinvindicarão a bondade apodrecida por tanta baixeza, serão o braço da vida e os ricos de espírito. E deles, só deles, será o reino da terra.






Pablo Neruda, in "Nasci para Nascer"

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Visita antiga


Era tempo do pessegueiro dar muitas frutas a última vez que estive contigo.Maravilhada com o fruto tão perfeito, eu, fotógrafa medíocre mas feliz da vida, saquei minha maquininha mágica e fiz várias fotos de teu pessegueiro em teu pomar.
É tempo de pessegos novamente e eu nem vi as flores...E eu não te visitei tampouco.
Sinto o aroma de teu pomar, tenho memória olfativa mais que tudo, o aroma de teu jardim, das panelas no fogo , o aroma de tua amizade.
Nada justifica a ausênsia , mas te peço amiga querida, que na tua sabedoria calcada em muito viver, olhes com carinho esta amiga que vai retornar ao pomar, colher mais carinho, viver um pouco de tua alegria.
Te amo, Cenira.

Nise
São Gabriel, 21 de dezembro de 2009.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Papai Noel


Eu quero que venhas esse ano Papai Noel.
Ensinaram-me a não querer.
Então peço.
Por favor, venha esse ano Papai Noel.
Ilumino a casa toda, faço caminhos para teus passos, coloco ramos bonitos em minha alma.
E embora seja verão há um frio perene nas minhas pernas com dor que ainda vão correr para que eu te encontre mais depressa.
Por favor venha esse ano Papai Noel.
Na cozinha sentirás  odores de temperos, ervas, carinho.
Cheiro de mãe.
Por favor venha esse ano Papai Noel porque preciso acreditar.
Pegue minha mão, olhe-me nos olhos e diga:
- Tu fostes uma boa menina.

Nise
São Gabriel, 17 de dezembro de 2009.

Paulo Roberto Wovst Leite

Obrigada.
Nas horas silenciosas ouvi tua voz.
Nos momentos  reflexivos, tua opinião.
Na vida que imaginas,teu apoio.
Um presente.
Silencio.
Queria responder em teu blog, não consigo acessar.
Amigo , tenho SAUDADE de não conhecer-te mais.




Nise
São Gabriel, 17 de dezembro de 2009.

domingo, dezembro 06, 2009

Saudade



Tantos poetas, escritores, tanta gente sentida , tantos compositores, enfim quem conhece a palavra SAUDADE, já a definiu.
Mas contemplativa da vida, alegrada de amores ,percebida e aproximada desde muito cedo com o sentimento que essa palavra diz, percebo que há ainda o que dizer sobre SAUDADE.
TRANSFORMOU-SE EM MIM A SAUDADE, UM SENTIMENTO MEDROSO E EGOÍSTA.
Eu tenho saudade imensa de meu Caetano.
Eu tenho uma saudade imensa de todos que amo, e se afastam as vezes, metros de mim...já sinto saudade.
Eu morro todo dia um pouco de saudade dos meus mortos, mesmo os que ainda vivem, mas morreram em mim.
Eu tenho saudade de quem fui, não me vejo com saudade do que posso ser.
Eu tenho daudade do riso, da lágrima, do vento, do frio, da lareira acesa, das cinzas disfarçando brasas ardentes, basta um sopro.
Eu tenho saudade de quem assoprava.
Eu tenho saudade de ti , meu menino Caetano.
É dessa saudade que quero falar porque nela descobri outro significado de SAUDADE.
Nessa saudade pertinaz e dura, descubro um significado maior para a palavra, muito maior.
Eu tenho saudade imensa de ti, Caetano.
Eu amo cada jeitinho teu , eu lembro de cada pedacinho de céu que me destes.
Eu tenho uma saudade imensa das lembranças que não vais ter de mim.
De verdade meu menino eu tenho saudade doída do que não conhecerás nem viverás comigo.
Eu tenho saudade por mim,
Eu queria o teu amor adulto e consciente, queria a certeza de viver a tua voz e coração quando falasses em mim,
Eu tenho medo de perder-me de ti.
Eu tenho muito mais medo que te percas de mim.
Egoísta , tenho saudade da SAUDADE, que não vais sentir.
Tu és meu fruto mais novinho, a confiança de perenidade que tive.
Então, SAUDADE, É MORRER DE VEZ, NÃO SER LEMBRANÇA.
E ESSA SAUDADE, MATA, ANTES DA MORTE, ANIQUILA ANTES DO FIM.
Eu tenho saudade de eu contigo, eu tenho saudade de sonhar o futuro contigo meu menino Caetano.
Eu defino assim então saudade.Grito sem eco, sem resposta,medo do esquecimento.
Eu tenho sadade imensa de ti, Caetano.
Eu tenho a saudade medrosa de não ser lembrança.
Vovó Nise
São Gabriel,6 de dezembro de 2009

quarta-feira, janeiro 14, 2009

Mães de Gaza



"Aqui a sombra do céu é de sangue
e as nuvens infectadas por negros arcanjos.
A morte legou os seus últimos resíduos
e mil homens se levantam do aroma da noite.
Escreveremos ainda o poema das mil mãos
em bandeiras de Paz
no peito dos meninos que não viram o sol.
A menos que nos roubem o ar e o fogo e a água
partiremos em busca das humildes mães de Gaza."


"poema das mil mãos", de Maria Azenha
Encontro pronto , o texto, a foto.
Preciso falar mais?
Sim.
Protejam os homens dos homens.
Nise
São Gabriel,14-01-09

terça-feira, janeiro 13, 2009

Pareja Bolero



Dançar é permitir que a alma cante.

Preciso demais, cantar.

Demais, preciso dançar.










Nise

São Gabriel, 13 de janeiro de 2009.

segunda-feira, janeiro 12, 2009

Fascínio

FASCÍNIO

a face oculta das palavras
às vezes se
mais estranha luz
e a parte escura
nunca antes revelada
aflora
ousada
com uma intimidade inesperada
como a primeira claridade
de uma aurora.
Todas essas malditas palavras sem pudor
que eu queria afugentar
mandar embora.
as palavras elas, as palavras
suas luzes, seus ritimos, significados.

Bruna Lombardi

quarta-feira, janeiro 07, 2009

Predador




Leio em Zero Hora , cronica sobre a mulher Maysa, hoje mini série da globo.


Incompreendida mulher.


Sonhos, devaneios, desatinos.


Coragem.


Perdeu?


Venceu?


Desafiou.


E isso, faz a diferença


Não coloco aqui os olhos azuis que a fizeram mais linda, nem tampouco a imagem , que física, guardamos dela.


Coloco a imagem do tubarão.


Mulheres corajosas tem um tubarão.


Predador , devorador de si.


Coração tubarão.


E não é por argumento ou rima.


Constatação.






Nise


São Gabriel,7 janeiro 2009.

segunda-feira, janeiro 05, 2009

Beija-flor


beija,beija,beija-flor
sou rosa
sou dália
margarida
orquídea
açucena
obscena
beije-me
beija-flor.
Nise
foto do blog de Paulo Roberto O mundo cabe em uma canção.
São Gabriel, 5 de janeiro de 2009.

Lagoinha

Em Lagoinha, vislumbro uma idéia de paraíso.
Os jornais desmentem .
Então paraíso é só um sonho bonito?
Não me desperte, não.


Nise
São gabriel, 4 de janeiro de 2009Posted by Picasa

quarta-feira, dezembro 31, 2008

Reapariçao




Reapareço

repare não
por aí andei
perdida
rencontrada
por aí.
Continuei
e o que mais importa.
Parei não ,
caminhei.











Nise
São Gabriel,
31-12-08

Posted by Picasa

domingo, setembro 28, 2008

PRIMAVERA

No jardim de casa anunciastes profusa que era o teu tempo.
Escolhi as amarelinhas "assanhadas", mas poderiam ser as rosas, os cravos, margaridas...tantas outras.
Alegras meus olhos, olfato, vida.
Renascem os brotos, batatinhas submersas em terra generosa.
E eu?
Ah, permito e peço explodas em flores oh primavera, que de dores há muito explodiu meu coração.


Nise
São Gabriel, 27 de setembro de 2008.
Posted by Picasa

sábado, setembro 27, 2008

Solidão


"Minha força está na solidão,. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite."
Clarisse Lispector

quarta-feira, setembro 17, 2008

Régia



...é rainha.

Reine.

Feliz.

Extrapole no riso, reserve a tristeza, pois é o riso estampa de ti.

Obrigada por ouvir, compreender, brincar.

Obrigada por tornar a vida tão mais leve, tão mais desejada e feliz de ser. Vou sentir saudade?

Muita.

Mas deixas um rastro de alegria, o som de teu riso brincando com as preocupações, o tom amigo de tua voz lembrando que sempre há motivo para ser feliz, para sorrir, para ser RÉGIA.

Obrigada , querida amiga.

Ivanise


São Gabriel, 17 de setembro de 2008.